Sendo mais preciso, esse estilo musical surgiu um pouco antes do momento em que abri os olhos. Mas essa fase anterior foi praticamente uma pré-história. Entre o final dos anos 1940 e a primeira metade dos anos 1950 foram sendo misturadas, num caldeirão efervescente, coisas distintas como o blues, o soul e o country, nos EUA. Só que essa química deu resultado mesmo foi no final daquela década e início da seguinte. Eu então já estava por aqui, ainda mamando nos seios de uma vizinha e aguentando o frio de Bom Jesus. Ou seja, as canções que ouvia eram bem diferentes, de ninar. Também não fui apresentado muito cedo ao rock: peguei mesmo foram as gerações seguintes. Pulei, portanto, Bill Haley & His Comets, que gravaram o primeiro de toda a história – recomendo o livro Bill Haley: The Daddy of Rock and Roll, de John Swenson, publicado em 1982. Essa banda foi tão revolucionária quanto mais tarde seriam The Beatles e Rolling Stones, com a responsabilidade ainda maior por serem pioneiros.

O rock nasceu ingênuo, do modo como somos na infância, com Rock Around the Clock e os músicos todos tocando com gravatas em roupas escuras e bem comportadas. Apenas na década seguinte viriam rebeldia e extravagância, como quando nos tornamos adolescentes. Guitarras sempre o identificaram, desde o seu começo, fosse única ou com dois guitarristas (base e solo), além de um contrabaixo ou baixo elétrico e da bateria. Nos primórdios havia ainda a possibilidade do uso de piano e saxofone como instrumentos frequentes. E a forma de dançar era muito peculiar. Depois de explodir em sua “terra natal”, o estilo se propagou com facilidade pelo mundo, situação facilitada pela época marcada por grandes mudanças sociais, nos anos 1960. A juventude finalmente tinha uma expressão musical própria, para canalizar toda a sua energia e o seu descontentamento.

A popularidade do rock crescia como cresciam os cabelos dos jovens; no ritmo em que encurtavam os vestidos das mulheres; enquanto eram queimados soutiens em Paris; e protestavam contra a Guerra do Vietnã. Enfim, era o momento histórico do rompimento de algumas amarras. No mesmo momento no qual se tentava sair do planeta, numa disputa entre russos e norte-americanos, também saía da órbita todo um enorme contingente com a experimentação de drogas. E a liberação sexual chegava, de carona, com o surgimento dos anticoncepcionais.

Voltando ao rock, temos que retornar outra vez para a década de 1950 e registrar o trabalho de Chuck Berry, com seus acordes inventivos e com aparência de permanente urgência. E citar o trabalho de outro gênio, chamado Johnny Cash, que trouxe todo um sentimento e sensibilidade country para dentro do rock. Tempos depois, Elvis Presley assumiu uma identidade tão forte que passou a ser chamado de Rei do Rock, ao juntar carisma e sedução, presença de palco e uma quase empáfia. Se poderia seguir com nomes tipo Jimi Hendrix, Bob Dylan, David Bowie, Roger Waters e Kurt Cobain, entre muitos outros, todos essenciais. Astros que brilharam e brilham até hoje. Bandas então, nem se fala quantas mereceriam ser incluídas numa linha do tempo que tivesse a pretensão de fazer mínima justiça à história.

Não há espaço suficiente aqui para se fazer isso. Mas se pode e deve lembrar que esse estilo que influenciou tanto a vida de tantos, com atitudes, linguagem e costumes, segue se alterando e fortalecendo. Com vertentes que vão desde o heavy metal ao soft rock, passando por rock progressivo e clássico, glam, grunge e indie rock. Segmentos que estão contemplando a imensa diversificação que marca o mundo atual em tudo. Galhos de uma mesma árvore, tão generosa na oferta dos seus saborosos frutos.

19.06.2021

O bônus de hoje reúne música com um espetáculo de dança, que nos é oferecido pelo casal Nils e Bianca. A canção é Hey! Baby, um rock and roll composto por Margaret Cobb e Bruce Channel, que foi gravado em 1957, justamente o ano em que nasci.

5 Comentários

  1. Young people do not know the origins of rock. I met many musicians, when I was trying to form a band here in Italy (which is more difficult than elsewhere) and many young musicians did not even know Elvis Presley. They never heard of Bob Dylan. They often only know the pop heard on the radio. There is a lot of ignorance in the new generation. But recently we had a shock with Maneskine, at least here in Italy, and I have to say that it took some movement. So let’s rock 🤟

    Curtir

    1. Sim, isso é verdade. A floresta está sendo derrubada para criação de gado, a madeira é vendida ilegalmente e os povos indígenas estão abandonados. Bolsonaro é uma vergonha para o meu país. Espero que se consiga retirar ele do poder o mais breve possível.

      Yes this is true. The forest is being cleared for cattle raising, timber is sold illegally and indigenous peoples are abandoned. Bolsonaro is a disgrace to my country. I hope he can be removed from power as soon as possible.

      Curtir

  2. Obrigada pelos momentos de rever uma outra história e pela seleção do vídeo. A arte em todas as suas formas nos ajudam a seguir adiante, ainda mais em tempos tão trágicos.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s