Não se pode esquecer que uma boa qualidade de vida é algo que depende de inúmeros fatores, muitos dos quais escapam ao nosso controle. Questões de saúde, financeiras, profissionais e afetivas são diretamente responsáveis por uma percepção positiva ou negativa, dependendo das circunstâncias e do ponto de vista. Mas todas elas são primordiais. Entretanto, sempre existe algo que se pode fazer para que ocorram respostas favoráveis e benéficas, em termos psicológicos, físicos e sociais. Como agora estamos mais uma vez nos aproximando do momento simbólico que é uma “virada de ano”, talvez se deva mesmo refletir um pouco sobre isso.

Vou tentar abordar esse conjunto de aspectos citados no parágrafo anterior, utilizando três palavras que servem para quaisquer deles. Talvez o que se precise de fato esteja nelas concentrado, em termos de providências. Falo de consciência, disciplina e flexibilidade. E quando nos concentramos em cada uma – e em todas conjuntamente – se percebe o quanto são relevantes. Até resolutivas, eu poderia dizer. Vejamos o caso da nossa saúde, por exemplo. A pessoa precisa ter consciência das suas circunstâncias e das limitações. Doenças que eventualmente tenha, idade que chega para todos, necessidade de ajustar limites que vão mudando com as fases da nossa existência física. Então, se torna essencial ter a disciplina necessária para ir ao médico com regularidade, seguir as suas recomendações, ser rigoroso com o uso de medicamentos quando estes se fazem necessários, além de manter sob vigilância alimentação, sono e atividades físicas. Evitar excessos, em especial bebidas alcoólicas, uso de açúcar e sal, além de frituras e carnes vermelhas, ajuda muito. Mas nada substitui ficar atento aos sinais que o próprio corpo dá, além de fazer seus exames anualmente.

A flexibilidade entra no ponto no qual se precisa permitir quebras na rotina, pelo bem da nossa saúde mental. Você não é nem presidiário, nem militar (imagino). Então, não se imponha uma camisa de força, não viva como se estivesse cumprindo punição constante. É fundamental que se permita o jantar com amigos, a cervejinha extra, não resistir àquele doce que viu na confeitaria, ser vencido pela preguiça e ficar até mais tarde na cama. Isso só não pode ocorrer tanto que tome o primeiro plano. Também podemos falar de flexibilidade no sentido físico. Acreditem: com o passar dos anos nosso corpo exige mais que se tenha mobilidade do que força ou velocidade. Então, não espere envelhecer para investir nesse processo.

Eu sei que você não irá escapar, porque ninguém escapa, de ao menos pensar nas famosas “resoluções de ano novo”, sejam elas plausíveis ou não, realistas ou inexequíveis. Então, quem sabe tenta fazer o que eu fiz acima, abordando saúde, para analisar com as mesmas três palavras chave, aspectos das suas realidades financeira, profissional e afetiva? Mas faça com os pés no chão, sem se iludir. Depois, se for estabelecer metas, que elas sejam razoáveis. Você não irá perder 30 quilos durante o verão, nem ficará rico subitamente – a não ser que a sorte esteja de fato sorrindo para você e o seu cartão tenha os números certos da Mega da Virada – e provavelmente não será promovido de surpresa, na volta das merecidas férias. Também é improvável que seu “crush” dos sonhos lhe encontre na rua e seja tomado(a) por uma paixão súbita, arrebatadora. Mas isso não significa que coisas muito boas estão proibidas de lhe acontecer, em cada uma dessas áreas.

A vida não é um tudo ou nada. Não se trata de uma aposta simples, em cara ou coroa da moeda. Mas você tem a obrigação de cuidar de si, do mesmo modo que deve dedicar tempo aos outros. Como recomendações finais, faça muito alongamento; mantenha sua mente ativa; incorpore na medida do possível novas ideias e conceitos; confie na vida e não se esconda dela. Para finalizar, fique perto das pessoas que têm condições de acrescentar coisas positivas em você. Tente também ser um fator de acréscimo na vida delas. E não tenha nenhum pudor de se afastar de tudo o que lhe for prejudicial. Inclusive hábitos e gente.

28.12.2022

O bônus de hoje é o áudio da música Intuição, de Oswaldo Montenegro.

Oswaldo Montenegro, Intuição

Uma vez
Mensal
Anualmente

Se você gostou desta crônica ou de outras das nossas postagens, ajude a manter este blog em atividade, com contribuições.
Elas podem ser únicas, mensais ou anuais.
Selecione sua opção e confirme no botão abaixo.

Faça uma doação mensal

Faça uma doação anual

Escolha um valor

R$10,00
R$20,00
R$30,00
R$15,00
R$20,00
R$25,00
R$150,00
R$200,00
R$250,00

Ou insira uma quantia personalizada

R$

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Agradecemos sua contribuição.

Faça uma doaçãoDoar mensalmenteDoar anualmente

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s