Hoje vamos conversar sobre livros que retratam o Brasil. Mas, por favor, me deixem fugir da indicação predileta de dez em cada dez cientistas sociais, não citando Casa Grande & Senzala, de Gilberto Freyre. Essa, de tão óbvia, se torna quase que desnecessária enquanto indicação. Prefiro me referir a outros três que podem e devem ajudar muito a que se entenda melhor esse nosso país, que é tão complexo. E vejam que eu disse “melhor”, porque uma nação que nega sua história, desrespeita seus habitantes e insiste em ser colônia, jamais será plenamente compreendida. Aliás, nem as que não agem assim o são.

Raízes do Brasil, de Sérgio Buarque de Holanda (1902-1982), tem uma narrativa que nos apresenta com lucidez a incapacidade secular dos brasileiros separarem a vida pública da vida privada, entre outros temas igualmente relevantes. O alcance da obra é tamanho que Antonio Candido a apelidou de “um clássico de nascença”. O lançamento do livro ocorreu em 1936 (256 páginas), tendo o seu autor recorrido às teorias sociológicas do alemão Max Weber para a realização desse seu estudo. Fundamental para a compreensão exata do texto é o capítulo cinco, no qual ele lança a tese do “homem cordial”, como sendo uma característica idealizada do brasileiro médio. Mas ele assume que o sentido etimológico da palavra aponta para uma orientação que vem do coração, não da razão. Só que nessa origem podemos ter tanto o amor quanto o ódio.

Cito agora um trabalho também clássico, que é O Povo Brasileiro: a formação e o sentido do Brasil, de Darcy Ribeiro (1922-1997). Esse mineiro foi um dos mais respeitados antropólogos de nosso país e, nessa obra, retrata seu inconformismo com a desigualdade social que nos caracteriza. Faz isso com um texto que percorre a história da formação de algo que diz ser uma “civilização brasileira”. Seu objetivo real teria sido entender o porquê do Brasil não ter dado certo. No seu entender, a origem miscigenada do povo era oportunidade rara de se criar um país muito melhor. Isso porque, ainda segundo ele, uma identidade indefinida permitiria que a nação se inventasse, numa singularidade ímpar. A sua primeira edição saiu em 1995, pela editora Companhia das Letras, tendo 368 páginas.

Brasil: uma biografia, tem como autoras Lilia Moritz Schwarcz e Heloisa Murgel Starling, ambas respeitadíssimas no meio acadêmico brasileiro. É esse o mais recente entre os livros que estou recomendando hoje – foi lançado em 2015. Ele é resultado de uma pesquisa rigorosa que resulta num texto que consegue oferecer uma espécie de retrato do país. E não se trata de um básico 3×4, mas imagem de corpo inteiro. O resultado por elas apresentado sem dúvida aponta para a necessidade de termos que escrever uma “nova história”, com todo o cuidado que tal expressão deva merecer de todos nós, depois de tantas vezes termos ouvido algo sobre “nova política”, nos últimos anos. Lilia é historiadora e antropóloga, com doutorado em Antropologia Social pela Universidade de São Paulo, onde hoje dá aulas. Heloisa Maria é historiadora e pesquisadora, sendo professora titular do Departamento de História da Universidade Federal de Minas Gerais. É reconhecida como uma autoridade nacional em se tratando de estudos sobre a república brasileira e a ditadura. A obra tem 808 páginas e pertence ao catálogo da Companhia das Letras.

11.05.2022

Só com muita leitura e visão crítica se pode tentar entender um pouco o Brasil e sua complexidade

O bônus de hoje é Brasil de Quem?, com o rapper Mc Sid. Ele nasceu e foi criado em Brasília. Seu nome no registro civil é Lucas Luan.

Essa música ganhou várias versões, com a letra sofrendo alterações com o tempo

COMO ADQUIRIR OS LIVROS

Os três livros indicados no texto de hoje podem ser adquiridos, em conjunto ou isoladamente, clicando sobre imagens de suas capas, que estão colocadas acima.

Raízes do Brasil

Sérgio Buarque de Holanda (R$ 44,99 – 256 páginas)

O Povo Brasileiro: a formação e o sentido do Brasil

Darcy Ribeiro (R$ 42,14 – 368 páginas)

Brasil: uma biografia

Lilia Mortiz Schwarcz e Heloísa Mugel Starling (R$ 64,52 – 808 páginas)

11 Comentários

        1. Agradeço, de coração, pelas suas palavras. Elogio vindo de pessoa com sua vivência, que domina vários idiomas e já residiu em diversos países, tem um peso muito especial. Abraço!

          Curtido por 1 pessoa

  1. Excelentes sugestões. Ainda acrescentaria ler trabalhos acadêmicos sobre história da formação do estado onde mora para auxiliar no entendimento mais local também

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s