Desde a segunda-feira, 23 de agosto de 2021, uma realização conjunta da Rede Estação Democracia com a RádioCom Pelotas tem oferecido, em cinco tardes por semana, o programa Espaço Plural – Debates e Entrevistas. Tenho a honra de ser apresentador, o que fiz nos primeiros 167 programas em companhia da colega jornalista Clarissa Henning, seguindo depois sozinho. Ele é apenas uma das produções da RED, que oferece ainda um outro programa diário também de segunda a sexta, mas nas manhãs: o Bom Dia, Democracia. Esse é com Paulo Timm e Bábiton Leão. Ambas as produções fazem companhia a várias que têm frequência semanal, principalmente. E novas atrações estão sendo aos poucos acrescentadas na grade.

A programação, além de ser transmitida em tempo real, também fica disponível para quem deseja ver em algum outro momento, nas nossas páginas do Youtube e do Facebook. E cada um dos programas tem emissoras de rádio e web tvs parceiras que retransmitem da mesma forma, tanto ao vivo como também disponibilizando para acesso posterior. No caso específico do Espaço Plural, atualmente são 21 parceiros ao todo. Além de Porto Alegre e Pelotas, eles estão espalhados em cidades gaúchas como Caxias do Sul, Santa Maria, Torres, Hulha Negra e Sapiranga, entre outras, além do sul de Santa Catarina. Também estamos nas páginas do Jornal Brasil Popular (Brasília), do Instituto Brasileiro de Estudos Políticos (Rio de Janeiro), da Adufrgs (Porto Alegre) e de alguns sindicatos.

A Rede Estação Democracia é o meio de comunicação do Comitê em Defesa da Democracia e do Estado Democrático de Direito, que reúne atualmente 297 pessoas físicas que se identificam com a causa. Ele nasceu em abril de 2016, tendo os seus membros diferentes visões ideológicas e políticas, mas todos dispostos a defender a democracia e o desenvolvimento soberano, socialmente inclusivo e sustentável do nosso país. São sociólogos, professores, jornalistas, cientistas sociais, artistas, psicólogos, advogados e membros de outras categorias profissionais, além de lideranças comunitárias e religiosas. Todos se posicionam contra o racismo, homofobia e outras discriminações, defendendo ainda o meio-ambiente e os povos originários, a redistribuição de renda e o sistema de cotas, os direitos humanos, a liberdade de imprensa e a participação popular em todas as instâncias do poder público, além de combater desigualdades sociais.

Primeiro foi criada a Rádio TV Web Estação Democracia, espaço que surgiu inicialmente como uma emissora não comercial e sem fins lucrativos, com o objetivo de oferecer noticiário independente e crítico, além de entretenimento, em alternativa à mídia corporativa. Ela prossegue no ar, mas como foram agregadas páginas em mídias sociais e outras alternativas complementares ao serviço original, como o uso do Instagram, do Facebook e do YouTube, se tornou parte de um todo que passou a ser denominado de RED. A rádio em si, quando não está com programação jornalística ou cultural, própria e de diferentes movimentos sociais e populares parceiros na luta democrática, fica tocando música brasileira de qualidade, estando durante as 24 horas do dia em constante operação. Em breve a rede terá também um site, que está na fase final de elaboração.

Todo o trabalho na RED é realizado por equipe formada por profissionais de imprensa, professores, artistas e ativistas que executam suas atividades de forma voluntária e, portanto, não remunerada. Mas há uma pequena equipe de profissionais técnicos e de comunicação que executa trabalhos diários e cujos integrantes recebem remuneração, mesmo que simbólica ou equivalente ao básico das suas categorias. Existem ainda despesas como a anuidade da plataforma Stream Yard, que é paga em dólares, assim como valores para desenvolvimento e assessoria nas redes sociais. Esses valores e outros, de ordem legal, estão tornando os custos insustentáveis, o que coloca em risco a continuidade dos programas.

Com patrocínios insuficientes para sua total manutenção, a RED vive especialmente graças ao apoio voluntário dos seus ouvintes e da audiência que tem nas redes sociais. Por isso se torna imprescindível renovar o apelo para que esse grupo de apoiadores cresça e para que as contribuições sejam sistemáticas, preferencialmente mensais. Para que essa voz não se cale. Assim, tomo a liberdade de transmitir também aqui no blog essa solicitação. Quem puder, que se associe ao esforço, com qualquer valor que seja possível. Isso pode ser feito com transferências bancárias (instituição Cresol – banco 133, agência 5607, conta 176.800), via TED ou PIX (a chave é redestacaodemocracia@gmail.com). Esta conta está em nome da Associação dos Amigos do Comitê em Defesa da Democracia e do Estado Democrático de Direito, cujo CNPJ é 39.683.419/0001-20.

O Espaço Plural – Debates e Entrevistas teve ontem o seu programa de número 200. Mais de 400 pessoas participaram dele, como debatedores e entrevistados convidados. Todos os programas seguem disponíveis para serem vistos e revistos – assim como os demais também realizados pela RED –, como foi colocado acima. Do mesmo modo, todos os que ainda vierem a ser feitos, com o seu apoio, continuarão como um registro de esclarecimento, de discussões, de propostas para que nosso país consolide e viva plenamente a democracia. E encontre, através dela, o melhor caminho para ser uma nação acolhedora, que ofereça a todos os seus filhos reais oportunidades de uma vida digna, na qual seus sonhos possam ser uma realidade.

06.07.2022

O bônus musical de hoje é Poesia Democrática, com Mc Maomé. Ele foi um dos fundadores do coletivo carioca Cone Crew Diretoria. No trecho final da música de hoje, para que se preste atenção, a letra destaca: “/Eu vou mostrar pro mundo todo o meu valor /Provar que eu também sou merecedor /E que unidos nós podemos mais /Podemos mais, muito mais, muito muito mais.

Logo depois, estão os links para quem desejar acessar a rádio e/ou as páginas da RED, tanto no YouTube quanto no Facebook.

https://estacaodemocracia.com/

https://www.youtube.com/channel/UC4ewpTl0HquKr6NkXhzZRiA

https://www.facebook.com/redeestacaodemocracia

2 Comentários

  1. Muito bom teu relato, é fundamental manter essas vozes de resistência. Eu contribuo desde o início, mas é preciso muitas pessoas se somarem, porque a maioria das contribuições individuais é pequena.

    Curtir

    1. Agradeço pela tua contribuição, Maria Rosa! E também pelo teu reforço ao apelo feito. Se mais contribuintes se somarem ao esforço a RED prossegue, sem sustos. E podem ser pequenos valores mensais, pois já fazem enorme diferença. Abraço!

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s